segunda-feira, 20 de abril de 2009

Livros Cristão gratis


Este Livro é um dos 25 livros do Paul C. Jong que vc pode ter em sua casa sem custo algum. Os livros estão disponíveis em português.
Para receber os livros você deverá acessar este site: www.bjnewlife.org e preecher o formulario de pedidos.
Você poderá pedi um de cada vez, preste atenção quando for digitar seus dados para não colocar informações erradas, pois poderá anular o seu pedido caso o livro voltar.
Deus possa abençoar vocês em nome de Jesus !!!!!

Se receber, deixe seu comentário, será muito importante para nós !


Pr. Pedro Lima

domingo, 19 de abril de 2009

O que faço com meus pecados?


Complexo de culpa é a expressão usada para definir o peso que fica sobre nossos ombros, quando estamos conscientes de um erro cometido e da nossa incapacidade de alterá-lo. Satanás é por natureza acusador e imediatamente começa a esfregar os pecados que cometemos em nossa face e por diversas vezes tenta induzir-nos a duvidar de nossa Salvação.

Mudar o passado é algo totalmente inviável, ficar remoendo o que aconteceu é inútil e pode levar ao desespero, a depressões e doenças somáticas. Em um universo tão cheio de opções, de informações duvidosas, é muito fácil errar. E o pecado quando não confessado atrapalha nosso relacionamento com Deus gera angústia, medo da condenação eterna e até mesmo frieza espiritual.

Não podemos aceitar as acusações satânicas, devemos confessar nossos pecados a Deus e aceitar o perdão que ele nos concede. Satanás não é juiz, não tem o direito de salvar ou condenar, devemos nos lembrar das palavras do apóstolo Paulo. - Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. (Romanos 8:33)

Nossos erros e falhas estavam sobre os ombros de Cristo, lá na cruz do Calvário. Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. (Isaías 53:4-5)

Não há motivos para sermos aprisionados pelos sentimentos de culpa ou remorsos, nossos pecados foram perdoados, devemos agora desfrutar da paz que ele conquistou para nós, carregar a nossa cruz como um bom cristão, evitando o pecado, mas conscientes que as nossas transgressões são perdoadas por Cristo e Satanás não pode nos imputar culpa alguma. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purifica de toda a injustiça. (I João 1:9)



Pr. Pedro Lima

sábado, 14 de fevereiro de 2009

O que a Bíblia ensina acerca do aborto ?

A imagem é extremamente chocante, triste e revoltantes, mas temos que mostrá-la. As pessoas têm que saber desse tamanho desprezo à vida.
Uma bebê recém-nascida jaz morta na rua, descartada como um pedaço de lixo, sob a indiferença dos que passam por ela .
Ela é apenas mais uma vítima da política cruel do governo Chinês: o limite de um filho por família com aborto compulsório.
(fotos e informações do artigo de Abigail Haworth publicado na revista Marie Claire de Junho de 2001 - edição norte-americana).

No Antigo Testamento, a Bíblia se utiliza das mesmas palavras hebraicas para descrever os ainda não nascidos, os bebês e as crianças. No Novo Testamento, o grego se utiliza, também, das mesmas palavras para descrever crianças ainda não nascidas, os bebês e as crianças, o que indica uma continuidade desde a concepção à fase de criança, e daí até a idade adulta.

A palavra grega brephos é empregada com freqüência para os recém-nascidos, para os bebês e para as crianças mais velhas (Lucas 2.12,16; 18.15; 1 Pedro 2.2). Em Atos 7.19, por exemplo, brephos refere-se às crianças mortas por ordem de Faraó. Mas em Lucas 1.41,44 a mesma palavra é empregada referindo-se a João Batista, enquanto ainda não havia nascido, estando no ventre de sua mãe.

Aos olhos de Deus ele era indistinguível com relação a outras crianças. O escritor bíblico também nos informa que João Batista foi cheio do Espírito Santo enquanto ainda se encontrava no ventre materno, indicando, com isso, o inconfundível ser (Lucas 1.15). Mesmo três meses antes de nascer, João conseguia fazer um miraculoso reconhecimento de Jesus, já presente no ventre de Maria (Lucas 1.44).

Com base nisso, encontramos a palavra grega huios significando "filho", utilizada em Lucas 1.36, descrevendo a existência de João Batista no ventre materno, antes de seu nascimento (seis meses antes, para ser preciso).

A palavra hebraica yeled é usada normalmente para se referir a filhos (ou seja, uma criança, um menino etc.). Mas, em Êxodo 21.22, é utilizada para se referir a um filho no ventre. Em Gênesis 25.22 a palavra yeladim (filhos) é usada para se referir aos filhos de Rebeca que se empurravam enquanto ainda no ventre materno. Em Jó 3.3, Jó usa a palavra geber para descrever sua concepção: "Foi concebido um homem! [literalmente, foi concebida uma criança homem]". Mas a palavra geber é um substantivo hebraico normalmente utilizado para traduzir a idéia de um "homem", um "macho" ou ainda um "marido". Em Jó 3.11-16, Jó equipara a criança ainda não nascida ("crianças que nunca viram a luz") com reis, conselheiros e príncipes.

Todos esses textos bíblicos e muitos outros indicam que Deus não faz distinção entre vida em potencial e vida real, ou em delinear estágios do ser – ou seja, entre uma criança ainda não nascida no ventre materno em qualquer que seja o estágio e um recém-nascido ou uma criança. As Escrituras pressupõem reiteradamente a continuidade de uma pessoa, desde a concepção até o ser adulto. Aliás, não há qualquer palavra especial utilizada exclusivamente para descrever o ainda não nascido que permita distingui-lo de um recém-nascido, no tocante a ser e com referência a seu valor pessoal.

E ainda, o próprio Deus se relaciona com pessoas ainda não nascidas. No Salmo 139.16, o salmista diz com referência a Deus: "Os teus olhos me viram a substância ainda informe". O autor se utiliza da palavra golem, traduzida como "substância", para descrever-se a si mesmo enquanto ainda no ventre materno. Ele se utiliza desse termo para se referir ao cuidado pessoal de Deus por ele mesmo durante a primeira parte de seu estado embrionário (desde a nidação até as primeiras semanas de vida), o estado antes do feto estar fisicamente "formado" numa miniatura de ser humano. Sabemos hoje que o embrião é "informe" durante apenas quatro ou cinco semanas. Em outras palavras, mesmo na fase de gestação da "substância ainda informe" (0-4 semanas), Deus diz que Ele se importa com a criança e a está moldando (Salmo 139.13-16).

Outros textos da Bíblia também indicam que Deus se relaciona com o feto como pessoa. Jó 31.15 diz: "Aquele que me formou no ventre materno, não os fez também a eles? Ou não é o mesmo que nos formou na madre?"

Em Jó 10.8,11 lemos: "As tuas mãos me plasmaram e me aperfeiçoaram... De pele e carne me vestiste e de ossos e tendões me entreteceste".

O Salmo 78.5-6 revela o cuidado de Deus com os "filhos que ainda hão de nascer".

O Salmo 139.13-16 afirma: "Pois tu formaste o meu interior, tu me teceste no seio de minha mãe. Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste... Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado, e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos me viram a substância ainda informe".

Esses textos bíblicos revelam os pronomes pessoais que são utilizados para descrever o relacionamento entre Deus e os que estão no ventre materno.

Esses versículos e outros (Jeremias 1.5; Gálatas 1.15, 16; Isaías 49.1,5) demonstram que Deus enxerga os que ainda não nasceram e se encontram no ventre materno como pessoas. Não há outra conclusão possível. Precisamos concordar com o teólogo John Frame: "Não há nada nas Escrituras que possa sugerir, ainda que remotamente, que uma criança ainda não nascida seja qualquer coisa menos que uma pessoa humana, a partir do momento da concepção".[1]

À luz do acima exposto, precisamos concluir que esses textos das Escrituras demonstram que a vida humana pertence a Deus, e não a nós, e que, por isso, proíbem o aborto. A Bíblia ensina que, em última análise, as pessoas pertencem a Deus porque todos os homens foram criados por Ele.

E se você já fez um aborto?

Você já fez um aborto? Onde quer que se encontre, queremos que você saiba que o perdão genuíno e a paz interior são possíveis, e que uma verdadeira libertação do passado pode ser experimentada.

Deus é um Deus perdoador:

"Porém tu [és]... Deus perdoador, clemente e misericordioso, tardio em irar-te, e grande em bondade" (Neemias 9.17b).

"Pois tu, SENHOR, és bom e compassivo; abundante em benignidade para com todos os que te invocam" (Salmo 86.5).

Aliás, Deus não apenas perdoa, Ele, de fato, "esquece":

"Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro" (Isaías 43.25).

Você poderá encontrar perdão agora mesmo simplesmente colocando sua confiança em Jesus Cristo. Você pode confiar nEle, virando as costas para os caminhos que você tem seguido, reconhecendo e confessando seus pecados a Ele, e voltando-se para Cristo com a confiança de que através do Seu poder, Ele haverá de lhe conceder perdão e uma nova vida. Se você deseja ter seus pecados perdoados, se deseja estar livre da culpa, se quer ter nova vida em Cristo, se quer conhecer a Deus, e se você sabe que é amada por Ele, sugerimos a seguinte oração:

Querido Deus, eu confesso o meu pecado. Meu aborto foi coisa errada e eu agora venho à Tua presença em busca de perdão e de purificação. Peço que não apenas me perdoes esse pecado, mas que me perdoes todos os pecados de minha vida. Eu aceito que Jesus Cristo é Deus, que Ele morreu na cruz para pagar a penalidade pelos meus pecados, que ressuscitou ao terceiro dia, e que está vivo hoje. Eu O recebo agora como meu Senhor e Salvador. Eu agora aceito o perdão que Tu providenciaste gratuitamente na cruz e que me prometeste na Bíblia. Torna o teu perdão real para mim. Eu peço isso em nome de Jesus. Amém.

Pr. Pedro Lima

Imagens de Escultura





Os povos pagãos sempre representaram seus deuses e também seus Ídolos em imagens de escultura, isso é facilmente constatado pela história e a arqueologia.
DEUS proibiu tal prática criando o segundo mandamento dos dez, que diz:
(Êxodo 20:4) - Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.
(Êxodo 20:5) - Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.
(Êxodo 20:6) - E faço misericórdia a milhares dos que me amam e aos que guardam os meus mandamentos.
A IGREJA CATÓLICA comprometida com a política e conseqüentemente com os pagãos que eram e ainda são a maioria no mundo, cristianizou a prática da veneração às imagens de escultura, e foi além, removendo de seus livros, o 2º mandamento de DEUS. Ver Catecismo.
O Segundo Concílio de Niceia, realizado em 787, declarou a legitimidade do que é chamado pelos atuais protestantes e evangélicos, como veneração de imagens, definindo que segundo o ensino dos Padres da Igreja e segundo a tradição universal da Igreja cristã, se podiam propor à veneração dos fiéis, conjuntamente com a Cruz, as imagens da Mãe de Deus, dos Anjos e dos Santos, tanto nas igrejas como nas casas ou ao longo dos caminhos.

A IGREJA CATÓLICA teve que dividir o 10º mandamento em dois para compensar a perda do 2º; Veja, livro de Catecismo.

CONCLUSÃO

Perceba que a grande vítima da “paganização” do Cristianismo ocorrida nos primeiros séculos foi à verdadeira adoração. As perguntas “como adorar”, “quando adorar” e “a quem adorar” tinham verdadeiras respostas antes da “paganização” do Cristianismo. Como vimos, para conciliar pagãos e cristãos, as imagens de escultura foram aceitas pela Igreja Católica. A forma de adoração começava a mudar - uma terrível violação à adoração e à lei de Deus, estava evoluindo gradativamente através da Igreja Católica; uma nova resposta à pergunta “como adorar” estava surgindo; O paganismo prevalecia sobre o cristianismo e a verdadeira adoração.


Pr. Pedro Lima

sábado, 31 de janeiro de 2009

Pr. Pedro Lima " No Centro da Vontade de Deus "

video

Noite de avivamento e renovo da parte de Deus, Pessoas que nunca mais tinha ouvido a genuína Palavra de Deus ficaram bastante alegre e renovadas com a presença do Espirito Santo de Deus que atravez de seus instrumentos na terra. Homens e mulheres dispostos a fazer a diferença no meio deu uma geração incrédula e corrumpida.
Nessa Mensagem o Pr. Pedro Lima, jovem o qual Deus levantou em Pernambuco edificado na Palavra e uma doutrina alicerçada nas Santas Escrituras, traz uma mensagem no Salmo 91. Onde o salmista Davi faz referência sobre a confiança e a divina proteção de Deus, mesmo vivendo em meio a uma população violenta e escarnecedora. Mesmo em meio a apostasia é possível viver-mos no centro da vontade de Deus. Pois quem vive no centro da vontade de Deus ele não se envolve com os problemas desta terra, não se vende, não se dobra diante a propostas de líderes corrumpidos, nem com as bolotas de satanás. Nesse dia pessoas foram renovadas com o espirito Santo.

Deus continue te abençoando Pr. Pedro Lima e permaneça sempre inabalavél em sua fé e com essa ousadia e coragem a qual Deus tem te dado de não temer ao homem. Creia tão somente que Deus tem te levantado como um referêncial no meio de líderes corrumpido a qual busca realizar seu ego a procura de sucesso, e em breve serás conhecido com uns dos maoires doutrinadores das Assembléia de Deus no Brasil.

A Honra, a Glória, o Poder, a Força, a Autoridade seja dada ao Senhor Jesus Cristo por todos os séculos Amém !!!!

Comentário por
Pr. Erivaldo Andrade
Fone:(081) 8762-0704- Recife

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Rádio Alfa e Ômega

Cantor Silvano Lima
CHORE PRA ELE

O Cantor e Compositor Silvano Lima em entrevista na Rádio Alfa e Ômega 107,3 no Programa Recomeçar com o também Cantor Rubens Silva o qual é apresentado todos os domingos das 15:00 ás 18:00 hs .
Em entrevista o Cantor Silvano Lima falou do lançamento do seu 1° Cd "Chore Pra Ele" qual foi um Sonho o qual Deus realizou em sua vida, Viagens e dedicação a obra. O seu Cd vem acompanhado de 10 faixas incluindo o Payback de cada faixa.
Silvano Lima é casado com a Irmã Edicleide a qual tem 2 filhas Silvana e Gleyce, ambos são membros da Assembléia de Deus em Ouro Preto-Olinda.

Em breve o 2° Cd do Silvano Lima que ja está em fase de gravação estará nas Lojas.

AGUARDE !!

Contatos e Convites Fone : (081) 3429-1093 /(081) 99150734 - Olinda-Pe

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Os Mártires da Igreja



E pouco conhecida a comunidade hebraica que habitava em Roma, formada por pacíficos cristãos. Certo dia, um pavoroso incêndio reduziu Roma a cinzas. Em 19 de julho de 64 d.C, a poderosa capital virou escombros e o imperador Nero, considerado um déspota imoral e louco por alguns historiadores, viu-se acusado de ter sido o causador do sinistro. Para defender-se, acusou os cristãos, fazendo brotar um ódio contra os seguidores da fé que se espalharia pelos anos seguintes. Nero aproveitou-se das calúnias que já cercavam a pequena cidade na cabeça do povo já havia, também, contra eles, o fato de recusarem-se a participar do culto aos deuses pagãos. Aproveitando-se do desconhecimento geral sobre a religião, Nero culpou os cristãos e ordenou o massacre de todos eles. Há registros de um sadismo feroz e inaceitável, que fez com que o povo romano, até então liberal com relação às outras religiões, passasse a repudiar violentamente os cristãos. Houve execuções de todo tipo e forma e algumas cenas sanguinárias estimulavam os mais terríveis sentimentos humanos, provocando implacável perseguição. Alguns adultos foram embebidos em piche e transformados em tochas humanas usadas para iluminar os jardins da colina Oppio. Em outro episódio revoltante, crianças e mulheres foram vestidas com peles de animais e jogadas no circo às feras, para serem destroçadas e devoradas por elas.Desse modo, a crueldade se estendeu de 64 d.C até 67 d.C, chegando a um exagero tão grande que acabou incutindo no povo um sentimento de piedade. Não havia justificativa, nem mesmo alegando razões de Estado, para tal procedimento. O ódio acabou se transformando em solidariedade. Nos mais ilustres mártires no circo de Nero temos: o Príncipe dos Apóstolos, crucificado, onde surgiu a basílica de São Pedro, e o Apóstolo dos Gentios, São Paulo, decapitado nas Águas Salvianas e sepultado na via Ostiense. Por isso a celebração dos mártires de Nero foi marcada para um dia após a data que lembra o martírio de ambos. Ao celebrarmos nesta festividade conjunta dos dois Apóstolos, o novo calendário deseja celebrar a memória dos numerosos mártires que não tiveram um lugar especial na liturgia. Oremos: Deus, nosso Pai, os Santos são testemunhas da ressurreição de vosso Filho Jesus. Pela fé, mostra-nos que aqueles que crêem em vós viverão para sempre, porque sois um Deus vivo e para os vivos.Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Pr. Pedro Lima